Homenagem Ademísio Barreto

ADEMÍSIO BARRETO VIEIRA DE CASTRO

Ademísio Barreto Vieira nasceu em Fortaleza no ano de 1902, filho de Francisco Vieira e Maria Barreto. Estudou gratuitamente na Fenix Caxeiral, recebendo os ensinamentos que foram base de sua cultura.

A.
COMÉRCIO

Aos 12 anos de idade, começou a trabalhar no comércio, como caixeiro de loja. Foi balconista da loja A Toscana, depois na Moda do Dia e na Casa Baima. Depois dessas experiências, resolveu enfrentar a vida de autônomo, realizando-se como proprietário do Armarinho N01, no hall do Palácio do Comércio. Após vários anos dedicados ao comércio, teve a Christmas como seu último desafio.


B.
MÚSICA
Aprendeu violino aos 36 anos, era seu grande sonho e desejou que seus filhos também tivessem amor pela bela arte, colocando-os todos para estudarem música, piano, violino, flauta, etc. Dedicou-se com seu violino a tocar nos casamentos, missas e orquestras, sempre nas horas vagas de sua grande luta no comércio.

C.
NÁUTICO ATLÉTICO CEARENSE
Nos momentos de folga dedicava-se ao exercício físico, desejoso também de promover a ginástica, que na época contava com poucos adeptos. Com esse objetivo, juntou-se com vários amigos, entre eles Raul Carvalho, que sempre foi seu grande companheiro e juntos fundaram o Náutico Atlético Cearense, em 1929. O Náutico foi fundado, especializando-se na prática dos desportos aquáticos, regata, remo, natação, basquete, entre outros. O marco zero do Náutico ocorreu, com a construção de uma guarita de madeira, de poucos metros de área, na Praia Formosa, também conhecida como Praia do Marégrafo, próximo do gasômetro. Com o seu crescimento, foi construída uma nova e suntuosa sede na Praia do Meireles, hoje orgulho de Fortaleza. Um palácio que nasceu guarita.



D.
NATURISMO
Ademísio foi um dos leitores livro “O Naturismo”, de autoria do médico Amilcar de Souza, da Sociedade Vegetariana de Porto. Esse raro livro, teve o mérito de galvanizar o espírito dos fundadores do Náutico, todos vegetarianos e abstêmios de álcool, fumo e drogas. Por esta razão lutaram pelo revigoramento físico e mental da juventude.

Homenagens